Saúde

Sintomas da rinite alérgica

De uma forma bem simplificada, a rinite é um tipo de inflamação que pode ser aguda ou crônica, irritativa ou alergia e que acontece na mucosa nasal. No entanto, é essencial conhecer os sintomas da rinite alérgica para que seja possível tratar o problema adequadamente.

Geralmente, os casos mais intensos da rinite são causados por vírus, mas quando são casos recorrentes, podemos atribuir a uma questão alérgica mesmo.

Isso significa que o corpo está sendo exposto a componentes que apresentam uma maior probabilidade de causar alergias. Dentre eles, podemos citar pólen, ácaros, poeira, fungos e outros. Mas a boa notícia é que existem tratamentos baratos como o Respilivre que é super eficiente, além de ser 100% natural.

Sintomas da rinite alérgica

A primeira coisa que precisa ser dita é que quanto maior for a exposição de uma pessoa aos alérgenos, maior será a quantidade de anticorpos que ela desenvolverá.

Sendo assim, mais intensos serão os sintomas da rinite alérgica, que são os seguintes:

  • Coriza
  • Edema da mucosa, causando a obstrução nasal
  • Espirros com salva
  • Coceira no nariz
  • Coceira na garganta e céu da boca
  • Coceira nos olhos

Vale lembrar ainda que a rinite alérgica pode estar associada ainda com outras comorbidades, tais como otites, asma, ronco e sinusite.

É por isso que se faz tão importante que o médico estabeleça o diagnóstico diferencial entre a rinite alérgica e outros tipos de rinite.

Para isso, é fundamental considerar o histórico médico do paciente, bem como realizar uma análise clínica detalhada de todas as vias aéreas.

Em alguns casos, ainda podem ser solicitados alguns exames de imagem para auxílio do diagnóstico, tais como endoscopia, raio X e tomografia.

Uma vez que está determinado o diagnóstico de rinite alérgica, é essencial identificar qual é a substância que desencadeia essa alergia e evitar o contato com a mesma.

Causas da rinite alérgica

De uma forma geral, a rinite alérgica ter causas hereditárias, mas ela pode aparecer mesmo que nenhum dos pais manifeste esse distúrbio. Mais do que isso, nem sempre a rinite se manifesta desde o nascimento.

Isso quer dizer que, ao longo da vida, uma pessoa pode se tornar sensível a uma determinada substância que antes era tolerada.

Os gatilhos das crises são mais conhecidos atualmente do que as causas e eles podem ser: ácaros, pólen, bactérias, perfumes, mudança de temperatura, pelos de animais, mudanças bruscas de temperatura, descamação da pele e outros.

Como se prevenir das varizes durante a gravidez

As varizes, tanto pela questão estética, como por apresentar sintomas que acabam interferindo na qualidade de vida das pessoas, merecem muita atenção, e durante a gravidez, fase em que o problema costuma surgir ou se agravar, os cuidados devem ser redobrados.

De acordo com o Ministério da Saúde, a gravidez é um dos fatores que mais favorece o surgimento de varizes, assim como a hereditariedade, o sobrepeso e o tabagismo.

Durante a gravidez as mulheres recebem uma profusão de hormônios, além do aumento de peso e da prisão de ventre, tão comuns nesse período.

É preciso entender que as veias se tornam varicosas quando a circulação venosa não consegue funcionar da forma correta, geralmente, por causa de problemas com as válvulas responsáveis por bombear o sangue das pernas de volta para o coração.

O resultado desse mal funcionamento são veias dilatadas e tortuosas que, em algumas pessoas, podem provocar um grande desconforto, queimação e até dor.

Mas, a boa notícia é que é possível, sim, as futuras mamães se prevenirem do problema de varizes. Continue lendo.

Como as grávidas podem se prevenir das varizes

As futuras mamães não precisam se preocupar, além do que é preciso, pois é possível se precaver de varizes com alguns cuidados básicos, tais como, por exemplo, evitar ganhar muito peso durante a gestação, praticar atividades físicas regularmente, e compatível com o estado da gravidez, contar com um acompanhamento médico, de um angiologista ou cirurgião vascular, e além dessa medidas, apostar nas meias de compressão.

Infelizmente, as varizes podem, sim, aumentar durante a gravidez, e isso devido à profusão de hormônio e suas alterações, que ocorrem neste período, as quais agem de forma direta e indireta nas veias, podendo provocar deformidades, por isto uma boa pedida é usar varizero creme diariamente, por ser natural ele não faz mal para saúde do bebê.

Outro fator que facilita o desenvolvimento, ou agravamento, das varizes, é o fato do útero expandido aumentar a pressão venosa nos membros inferiores, dessa forma, deixando os vasos mais sujeitos a deformações.

Claro, não dá para deixar de citar o sedentarismo, já que nessa fase a mulher costuma deixar, ou diminuir as atividades físicas, seja por decisão médica ou por opção própria.

Onde é mais comum aparecerem Varizes

Embora em menor escala, as varizes também podem surgir em outras partes do corpo, como a pelve, o abdômen, o tórax e o tubo digestivo.

Geralmente, as varizes são decorrentes de alguma doença que provoca o aumento da pressão venosa, por isso, devem ser investigadas.

Porém, na maioria das vezes, elas costumam aparecer nas pernas, e isso devido ao aumento da pressão dentro dos vasos, causada pela ação da gravidade. Por esse motivo, para prevenir as varizes, é fundamental fortalecer a musculatura da perna, principalmente, na região da panturrilha, garantindo a melhora do funcionamento da circulação dos membros inferiores.

A indicação é fortalecer a musculatura por meio de musculação (leve e orientada) ou da caminhada.

Enfim, para não deixar que problemas com varizes possam atrapalhar esse momento tão especial na vida de toda mulher, a dica é procurar levar uma vida mais saudável, não aumentar muito o peso, se exercitar de forma moderada, regularmente, usar meia de compressão e se alimentar de forma adequada.